Qual é a importância do consumo de leite para a nutrição humana?

O consumo de leite é benéfico para a saúde humana em virtude da sua rica composição nutricional. 

Por: LETÍCIA DE SOUZA SCHERRER E PAULO HENRIQUE FONSECA DA SILVA (Milk Point) 

PRODUÇÃO DE LEITE

As recentes discussões sobre o valor nutritivo dos produtos lácteos para saúde humana são certamente acaloradas. Muitas opiniões, alguns mitos e outras desinformações dão margem a incertezas na mente do consumidor. Para mitigar estas circunstâncias, um bom conhecimento sobre nutrição e sobre a bioquímica do leite e de seus derivados é fundamental.

É necessário que este conhecimento seja amplamente divulgado. E, nesse sentido, o portal Núcleo para Valorização de Produtos Lácteos na Alimentação Humana (NUVLAC) foi desenvolvido, a partir de projetos de extensão da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Incentivar e divulgar conhecimentos sobre a importância do leite na vida das pessoas, sistematizando informações técnico-científicas, é a finalidade principal da equipe NUVLAC. Semelhantemente, este também é o propósito basilar do nosso artigo!

No livro “Química de Alimentos de Fennema”, o autor David S. Horne (2019) dedica um capítulo inteiro para explicar as características deste alimento tão rico. Um valor que pode ser refletido em seu consumo, iniciado no Período Neolítico (7000 a.C), quando houve a domesticação de bovinos, caprinos e ovinos; permanente até os dias atuais.

Ao longo da história, Nutrição e Economia estão fortemente interligadas, quando o assunto são os produtos lácteos. Dados globais mostram que, em 2011, 734 milhões de toneladas de leite foram produzidas e distribuídas, tanto para comercialização quanto para fabricação de derivados lácteos. Em 2017, os valores referentes à produção mundial eram de 811 milhões de toneladas de leiteCrescimento expressivo!

O que é o leite propriamente dito?

Ele é um produto originado exclusivamente nas glândulas mamárias dos mamíferos. Por ser de grande valia ao crescimento e ao desenvolvimento dos filhotes, o leite é sua primeira fonte de alimentação e de nutrição.

Um conjunto complexo e bem distribuído de nutrientes também é outra boa definição para o alimento. O leite pode apresentar diferenças na composição, principalmente no teor de gordura, quanto à espécie, raça, alimentação, sazonalidade e outros fatores. Ainda assim e com base no conhecimento científico, podemos afirmar sua riqueza nutricional.

Vejamos o porquê, a partir dos principais nutrientes presentes neste alimento!

As proteínas lácteas representam 3% da matriz bovina. Elas são divididas em dois principais grupos: as caseínas e as proteínas do soro. Esses grupos aliados exibem um alto valor nutricional. Isso é o que afirma a métrica vigente sobre o valor nutricional das proteínas, o Escore de Aminoácidos Indispensáveis Digeríveis (DIAAS).

Em outras palavras, todas as proteínas lácteas são de excelente qualidade (DIAAS ≥ 100). Quanto ao perfil de aminoácidos indispensáveis, ou seja, os aminoácidos que não produzimos e devemos consumir, as caseínas e as proteínas do soro se complementam. Também a adequada digestibilidade deve ser evidenciada. As proteínas lácteas são favoráveis ao acesso das enzimas digestivas, beneficiando o processo de digestão.

Outros aspectos ainda chamam atenção para as proteínas lácteas. As caseínas, por exemplo, são excelentes transportadoras de um mineral importante, o cálcio; o que favorece a integridade estrutural do organismo.

Agregam-se ao valor nutricional, os peptídeos bioativos que estão presentes em ambos os grupos, caseínas e proteínas do soro. Esses peptídeos são pequenas frações das proteínas, que atuam sobre os principais sistemas do corpo. Ação antimicrobiana, imunomoduladora e anti-hipertensiva são alguns exemplos já descritos na literatura científica.

As gorduras também são nutrientes relevantes do leite e de seus derivados. A fração lipídica do leite não deve ser considerada uma vilã. Isso porque esses glóbulos de gordura exibem funções importantes, como transportador de vitaminas lipossolúveis, e uma composição diversificada. A diversidade da matriz láctea, com respeito aos tipos e teores de diferentes ácidos graxos, é ímpar dentre os grupos de alimentos.

Ressalta-se a presença de ácido linoleico conjugado (CLA) na gordura láctea. Também a membrana do glóbulo, composta por proteínas, é valorizada por apresentar bioatividade, isto é, ser potencialmente promotora de saúde.

Quanto aos carboidratos, a lactose é o predominante e representa em torno de 5% da composição láctea bovina. Fonte primária de energia, a lactose é nutrição para o organismo e também para algumas bactérias benignas da microbiota intestinal, como Bifidobacterium spp. e Lactobacillus spp. Sua doçura pouco acentuada garante um sabor particular ao leite e sua presença contribui para melhorar a absorção de minerais no trato gastrointestinal.

Para Ren e colaboradores (2020), no cenário pandêmico, o leite mostra-se como uma escolha alimentar ainda mais importante. A composição rica em proteínas de alto valor nutricional, em nutrientes biodisponíveis, em prebióticos e em componentes bioativos pode fortalecer as células imunes contra o SARS-CoV-2, o novo coronavírus. Isso tudo mediante a ação mantenedora do equilíbrio imunológico, intestinal e nutricional, proporcionada pela complexa matriz láctea.

No tocante aos micronutrientes, além do cálcio, o leite ainda ostenta outros destaques. Como a vitamina D, a qual está fortemente associada ao metabolismo ósseo e à atividade metabólica do cálcio. Outro dado relevante é sobre o teor significativo de potássio, um nutriente relacionado com ação anti-hipertensiva.

Também um bom conteúdo de vitamina A, nutriente fundamental para a visão, para a imunidade e para função celular, é encontrado no leite. Dentro do grupo das vitaminas, apenas a vitamina C está ausente. Considerando esta abundância, diversos estudos reunidos por Tunick e Hekken (2015) demonstraram a relação entre o consumo de produtos lácteos e desfechos positivos à saúde.

Finalmente, podemos dar mais uma boa notícia: os produtos lácteos exibem um ótimo custo benefício. Um estudo científico recente, cuja autoria é de Siqueira e colaboradores (2020), afirmou que o valor nutritivo dos produtos lácteos está associado ao baixo custo, sendo estes, portanto, alimentos convenientes às estratégias que visem garantir a segurança alimentar. Os principais nutrientes para essa constatação foram o cálcio, a vitamina D, as proteínas e a vitamina A.

Em suma, prezado leitor, saiba que o leite e os seus derivados apresentam uma grande importância para Nutrição Humana e que eles devem fazer parte de uma alimentação saudável. 

Compartilhe:

Mais Notícias

Rolar para cima